Sala de Aula

Nova edição do blog Sala de Aula


http://reridamaria.com.br/

Seguidores

segunda-feira, novembro 12, 2012

Mitologia X Religião


A mitologia abrange várias civilizações do mundo, como a egípcia, a grega e a romana, entre as mais antigas e conhecidas, assim como as astecas, colombianas, escandinavas, guaranis, maias, africanas, hindus, incas, indianas etc.
Muitos desses mitos se confundem entre as religiões como, deuses africanos e santos católicos, deuses gregos com deuses romanos, o deus Alla muçulmano, Senhor cristão e o Jeová judeu, com o mesmo significado.

 Mitologia Afro-brasileira
Xangô, deus do raio e do trovão, Filho de Iemanjá e de Oxalá. Casou-se com três das suas irmãs míticas: Obá, Iansã e Oxum. Tem por escravo Oxumaré (orixá do arco-íris) e é ajudado por Biri, seu criado que rege as trevas, e Afefe, o vento, seu mensageiro, conduzido por Oiá.
Olorum, deus supremo, origem de todas as coisas, em alguns mitos brasileiros de origem africana. A mitologia africana crê na reencarnação do espírito.

Mitologia Africana
Orixás, divindades da religião africana, principalmente do candomblé de origem ioruba. Simbolizam as forças da natureza. Invocados, encarnam nos médiuns, ou filhos-de-santo. Intermediários entre os devotos e o deus superior Olorum. Da cultura ioruba, o culto estendeu-se para outros grupos de africanos e, hoje, também para a população branca. Os principais orixás são Oxalá, Xangô (raio, trovão), Ogum (guerra, luta), Oxóssi (caça, matos), Iemanjá (águas salgadas, peixes), Oxum (águas doces), Omulu ou Obaluaê (doenças, pestes), Oxumaré (arco-iris), Iansã (ventos, tempestades), Nanã Buruquê (chuva), Ibeji (fecundidade) e Obá. Oxalá é macho e femea, Iemanjá, Obá, Iansã, Oxumaré, Oxum e Nanã são femininos. Os demais são masculinos. Na umbanda são representados por santos católicos.
Unkulunkulu, o deus supremo na tradição xosa e zulu do sul da África.


 No mundo, hoje, temos 6 bilhões de habitantes. Cada um com sua crença, ou incredulidade. É assim mesmo... Deuses para todos os gostos, e através dos tempos, cada um tem o seu deus, acredita do seu jeito. 
O que podemos fazer é entender e respeitar a crença de cada um, não ter preconceito!


 http://www.reocities.com/realidadebr/textos/candelabro.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário